19 de agosto de 2019
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Benedicto Cohen (Bene)

Ama teu ego como a ti mesmo
Publicado em: 04 de setembro de 2006, 16:14:48  -  Lido 3389 vez(es)



Realmente o ego é a maior e mais sutil armadilha espiritual que existe, e
dela/dele ninguém escapa... Aliás, isto é algo que sempre tentei mostrar,
ironicamente, através da minha ciber-personalidade, sempre que me enalteço de
forma cômica e evidentemente exagerada, como se fosse um xamã eletrônico que
precisasse fazer marketing pessoal pra vender seus patuás (Na verdade as pessoas
que me conhecem sabem que eu não sou realmente assim, sabem que sou uma pessoa
maravilhosamente simples, divinamente comedida...)

Mas o fato é que todos sucumbem ao ego, pos é vital que sucumbamos a ele. O ego
precisa ser masturbado, para que possamos ir em frente. É exatamente esse
auto-estímulo que nos mantém na luta, que nos impele contra nossos moínhos de
vento, mesmo quando sabemos que nossas chances serão diminutas, contra nossos
gigantes.

Não existe isso de matar o ego. Freud criou esta divisão (Ego, Id, Superego)
para ajudar-nos a entender a própria alma, mas todas estas 3 partes pertencem ao
próprio self, ao si mesmo, ao próprio ser. O self precisa de todas elas. Matar o
ego (ou qualquer uma das outras partes da alma) seria como cortar os órgãos
sexuais para tentar não cair em tentação ou lobotomizarmos parte do cérebro para
pararmos de ter maus pensamentos, por exemplo. O ego tem que existir, cacete!

Contudo, Freud comparava o ego a um espelho, e esta sim, é uma comparação danada
de boa. Se temos um espelho bem polido, ele nos reflete de acordo, e nos dá uma
boa idéia de nós mesmos. Mas se o espelho está rachado, ovalado, ou coisa do
tipo, a imagem que teremos de nós mesmos será igualmente fragmentada ou
distorcidamente côncava, convexa, etc.

Repito que ninguém mata o ego. Nosso todo pode até ser morto, mas não pode ser
parcialmente morto. O ego é como a pulsão sexual: vc no máximo a anestesia,
amansa, sublima, transfere... mas ela sempre vai estar lá.

As pessoas vulgarmente tidas como pessoas que mataram o ego apenas têm uma forma
diferente da nossa, para lidar com seu ego. Madre Teresa tinha ego. Chico Xavier
tinha ego. Qualquer um que se ache o filho predileto de Deus vai ter... E quem
não se ache também...

E tem mais: o ego se forma a partir de nossas primeiras percepções do mundo ( e
posteriormente poderemos até mudar a forma de perceber o mundo, caso queiramos)
. Só que para que possamos ter estas primeiras impressões, precisamos de uma
base inicial sobre a qual repousar estas primeiras impressões, certo? E esta
base, meninos, é inata, é hereditária, é atávica. Ou seja, é coisa nossa que vem
assim de fábrica e não dá pra mudar. Vai ficar buzinando pra sempre, dentro de
nós, gostemos ou não.

Não convenceu? Então vem cá... será que vc sabe responder que parte sua está se
orgulhando, dentro de vc, quando vc se orgulha de não ter ego?

Bene
--
Benedicto Cohen (Bene)
beneluxbr@yahoo.com.br


Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir